Chuva já matou 13 pessoas em Minas Gerais, aponta Defesa Civil

Anúncio

O período chuvoso 2016/2017 está só no início e já registra números alarmantes: 13 pessoas morreram em decorrência das tempestades em todo Estado. O número já é mais do que o dobro registrado no último período (entre outubro de 2015 e abril de 2016), quando 5 pessoas morreram.

Das 13 mortes registradas, três foram em um deslizamento de terra nessa quinta-feira (15), em Mutum, no Vale do Rio Doce; um barranco caiu sobre uma casa no distrito de Imbiruçu e seis pessoas ficaram soterradas. Em Ribeirão das Neves, outras três pessoas perderam a vida; elas estavam em um caminhão, que foi “engolido” por uma cratera na LMG 806. Em Resplendor, também no Vale do Rio Doce, quatro mortes foram registradas após temporal, que devastou a cidade e o distrito de Nicolândia. Em Juiz de Fora, na Zona da Mata mãe e filho, que estavam dentro de casa, foram atingidos por um deslizamento de um talude e uma árvore. E em Belo Horizonte, uma menina de 13 anos foi arrastada pela enxurrada na última terça-feira (13), quando ia para a escola; a irmã dela está internada em estado grave no Hospital Risoleta Neves, em Venda Nova.

Anúncio

Ao todo, 25 cidades foram afetadas, 10 delas decretaram situação de emergência, sendo: Santo Antônio do Jacinco, Pedra Azul, Itueta, Resplendor, Marilac, Manga, São Geraldo da Piedade, Itaobim, Além Paraíba e Itanhomi. O decreto de Ribeirão das Neves após temporal desta semana ainda não foi incluído.

Entre desalojados e desabrigados, já são 2.359; 61 casas foram destruídas e outras 730 danificadas; 32 obras  de infraestrutura foram danificadas e 18 destruídas.

Hoje em Dia