Foto: ASCOM

Reivindicações estão relacionadas com o decreto mais restritivo para enfrentamento à Covid-19 e posicionamento da prefeitura será divulgado nesta sexta-feira, 19.

Na tarde desta quinta-feira, 18, às 14h, representantes do segmento dos lojistas foram recebidos pelo secretário de Governo da Prefeitura de Ituiutaba, Conrado Henrique, acompanhado vice-prefeito, Silvio Vilarinho e da procuradora do Município, Jéssica Faria, para encontro agendado com o intuito de que os empresários apresentassem suas reivindicações sobre as medidas relacionadas ao decreto de enfrentamento à Covid-19, vigente desde a última quarta-feira, 17.

Os comerciantes, Isabela (Stiletto); Luana Muniz (Studio L); Kênia Tomaz (Maria Charlote); Fabiano Souza (Planeta Calçados) e Camila Almeida (Cresci & Perdi), antes de tudo, ressaltaram que o movimento não possui qualquer viés político e informaram que, mesmo em meio a todos os problemas causados pela Pandemia, pessoas inescrupulosas tentam a todo custo se promoverem através da causa, principalmente, com o uso das redes sociais, o que não tem qualquer relação com o manifesto.

Durante a reunião os lojistas mostraram-se insatisfeitos com a situação de seus empreendimentos fechados e ao mesmo tempo por perceberem aglomerações em outros locais, como nas agências bancárias. A argumentação é de que a medida mais restritiva não terá efeito caso permaneça nesses moldes, mantendo os comerciantes prejudicados com relação às vendas.

Os gestores apresentaram o cenário epidemiológico do Município e da Macrorregião, que é crítico, e informaram que a Prefeitura de Ituiutaba disponibilizou mais servidores para a Central de Fiscalização, ampliando a capacidade de atuação para aumentar a eficácia das medidas, contudo, como se viu na última quarta-feira, 17, diversos estabelecimentos continuam descumprindo as normas. Eles também ressaltaram que a Polícia Militar de Minas Gerais – PMMG tem prestado apoio nas ações de fiscalização, apesar do pouco contingente disponível.

Os empresários propuseram que o Executivo autorize a prática das vendas online, com permissão para efetuarem entregas dos produtos aos clientes, bem como a flexibilização da medida em uma possível reabertura do comércio, em uma parceria com a classe com a promessa de apoio na continuidade das medidas necessárias e na própria fiscalização dos descumprimentos.

A expectativa é que um posicionamento do Poder Executivo sobre as demandas apresentadas pelos manifestantes seja divulgado nesta sexta-feira, 19.