Prefeitura de Ituiutaba publica decreto, adequa medidas impostas pela onda roxa e mantém lei seca

Novas regras foram anunciadas ontem, 3, e serão válidas até dia 19 de março; texto foi assinado pela chefe do Executivo nesta quinta-feira, 4

Anúncio

Para conter a evolução da Pandemia e reestabelecer com velocidade a capacidade de assistência médica da macrorregião, preservando a rede hospitalar em todo o estado,  o Governo de Minas decretou ontem, 3, o fechamento das cidades do Triângulo do Norte. A Prefeitura de Ituiutaba publicou nesta quinta-feira, 4, decreto com adequações para as regras impostas pelo Estado, além de ter mantido outras medidas já adotadas, como a lei seca. Clique aqui e acesse o documento na íntegra!

Entre hoje, 4, até no dia 19 de março, durante a vigência da onda roxa, está proibida a circulação de pessoas sem o uso de máscara de proteção, em qualquer espaço público ou de uso coletivo, ainda que privado; a proibição de circulação de pessoas com sintomas gripais, exceto para a realização ou acompanhamento de consultas ou realização de exames médico-hospitalares; a proibição de realização de reuniões presenciais, inclusive de pessoas da mesma família que não coabitam; além da realização de qualquer tipo de evento público ou privado que possa provocar aglomeração, ainda que respeitadas as regras de distanciamento social.

Anúncio

Também está estabelecido pelo Plano Minas Consciente o toque de recolher das 20h às 5h, com permissão de circulação somente para trabalhadores que portam declaração de prestação de serviço essencial.

Nessa fase, só ficou permitido o funcionamento de serviços essenciais e a circulação de pessoas fica limitada aos funcionários e usuários desses estabelecimentos. O deslocamento para qualquer outra razão deverá ser justificado e a fiscalização será feita com o apoio da Polícia Militar.

São considerados serviços essenciais

Farmácias e drogarias;

Fabricação, montagem e distribuição de materiais clínicos e hospitalares;

Hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, padarias, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, feiras livres lojas de conveniência, depósitos de água mineral e lojas de alimentos para animais;

Produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;

Restaurantes e lanchonetes localizados as margens da rodovia;

Oficinas mecânicas e borracharias;

Agências bancárias e lotéricas;

Atividades agroindustriais, agropecuárias e industriais;

Canteiros de obras da construção civil;

Serviços médicos, hospitalares;

Serviços odontológicos, psicológicos, de fisioterapia e reabilitação, bem com demais serviços de assistência à saúde;

Setor hoteleiro;

Atividades jurídicas, contábeis, despachantes e seguros, somente para cumprimento de prazos inadiáveis;

Serviços de transporte;

Atividades religiosas;

Óticas somente para atendimento com receita médica;

Segurança privada;

Atividades voltadas ao abastecimento dos estoques das redes de supermercados e congêneres e farmácias;

Serviços públicos essenciais, prestados diretamente ou por terceiros, definidos pelos entes competentes.

Os estabelecimentos que tenham mais de uma Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE cadastrada poderão realizar atendimento presencial somente das atividades essenciais.

Atividades suspensas

Academias e centros de ginástica, estabelecimentos de condicionamento físico e clubes de serviço e lazer;

Salões de beleza, barbearias e clinicas de estéticas e bronzeamento; quadras poliesportivas, piscinas, campos de futebol públicos, particulares e, em clubes sociais;

Atividades artísticas, criativas e de espetáculos, tais como, produções teatrais, musicais, espetáculos de dança, espetáculos circenses, espetáculos de rodeios, festas e eventos públicos ou particulares em salões de eventos, residências urbanas e rurais, sítios, entre outros;

Atividades de condicionamento físico em espaços públicos ao ar livre.

Vendas remotas

O atendimento remoto poderá ser realizado por meio telefônico ou eletrônico, através de sites, aplicativos e mídias sociais e por venda remota com entrega em domicílio dos produtos adquiridos ou prestação de serviços agendados, por meio de contratação remota.

O decreto deixou expressamente proibido a retirada de pedidos no balcão.

Feiras Livres

Os organizadores e feirantes deverão adotar distanciamento de três metros entre uma barraca e outra, sem aglomeração dos clientes, com fornecimento de dispositivos de álcool 70 % (em gel ou liquido) nas barracas e uso obrigatório de máscaras por todos os colaboradores.

Os produtos deverão ficar em pacotes ou porções individuais de 250, 500 gramas ou 1 quilos, com placa de aviso alertando o consumidor para que não toque nas embalagens. A fiscalização quanto ao funcionamento das feiras se mantém a cargo da Secretaria Municipal de Agricultura.

Bancos

As agências bancárias deverão organizar as filas dentro e fora dos estabelecimentos, garantindo o distanciamento mínimo de dois metros entre cada cliente, além de limitar o atendimento a 40% do estipulado no alvará de funcionamento.

Será necessário que os bancos utilizem recursos e tecnologias para impedir aglomerações de seus clientes dentro e fora de suas dependências e que disponibilizem funcionários para efetuar a assepsia dos caixas e caixas eletrônicos durante o horário de funcionamento.

Supermercados, farmácias e padarias

Esses estabelecimentos terão capacidade reduzida para 40% do permitido para o local, conforme alvará de funcionamento, sendo que deverão manter o controle de entrada por meio de senhas. Também será preciso organizar a entrada e saída de seus estabelecimentos, através de controle de entrada de duas pessoas por carrinho de compra.       

Os estabelecimentos passíveis de filas farão a demarcação de faixas amarelas com distância de segurança de dois em dois metros para posicionar os clientes no ato do pagamento das compras. O uso de máscara é de inteira responsabilidade do estabelecimento, sendo obrigatório para todos os clientes e funcionários.

Atividades religiosas

Fica permitido o funcionamento dos templos religiosos com ocupação máxima de 30% daquela do alvará limitado a, no máximo, 50 pessoas e mantido o distanciamento de dois metros entre as pessoas e as normas de biossegurança.

Circulação restrita das 5h às 20h

O decreto permite a circulação de pessoas e veículos nas vias públicas entre as 5h e 20h somente para comparecimento ao local de trabalho, para atividades autorizadas a funcionarem presencialmente e para atinentes às necessidades inadiáveis e urgentes.

Toque de recolher

Somente é permitido circular durante o toque de recolher, entre 20h e 5h, para necessidades inadiáveis, que são situações e condições previstas ou previsíveis, que exijam atividades ou atos cuja não realização ou paralisação coloque em risco a saúde ou a segurança de pessoas ou animais, ou a segurança ou integridade de patrimônio ou para necessidades urgentes que são situações ou ocorrências imprevistas, que coloquem em risco a saúde ou a segurança de pessoas ou animais, ou a segurança ou integridade de patrimônio.

São inadiáveis e urgentes:

Aquisição de medicamentos e outros fármacos;

Obtenção de atendimento ou socorro médico para pessoas ou animais;

Embarque e desembarque no terminal rodoviário, no que tange ao transporte intermunicipal e interestadual;

Eventuais casos omissos, cuja análise de adequação se fará pelos agentes competentes.

No exercício dessas atividades as pessoas deverão portar e exibir, quando requeridos pelos agentes competentes, além dos documentos pessoais de identificação e de comprovação de endereço residencial:

Nota fiscal da compra ou prescrição médica do medicamento adquirido ou a ser adquirido;

Atestado de comparecimento na unidade de saúde de prestação do atendimento ou socorro médico ou prescrição de medicamentos resultante do atendimento;

Carteira de trabalho, contracheque, contrato social de empresa que seja sócio, declaração de terceiro com identificação do indivíduo, do declarante e do endereço da prestação dos serviços;

Tíquete ou imagem da passagem;

Comprovação da urgência ou da necessidade inadiável por qualquer meio ou declaração própria ou de terceiro da ocorrência do fato ou declaração de circulação para cumprimento de serviço essencial.

Denúncias

A fiscalização será feita pela Polícia Militar de Minas Gerais – PMMG e pela Central de Fiscalização Covid-19. Para acionar a Central basta entrar em contato via (34) 999859-4344, (34) 99781-4959, (34) 99856-4546 ou (34) 99776-4647.

Anúncio