Prefeitura de Ituiutaba emite nota sobre medicamentos usados para tratar Covid-19

A Prefeitura de Ituiutaba emitiu posicionamento com esclarecimentos sobre o uso de medicamentos para pacientes acometidos com a Covid-19. Conforme o texto, apesar de disponibilizar os remédios, a entrega aos pacientes só é feita se houver prescrição médica. Leia abaixo!

Anúncio

“A Prefeitura de Ituiutaba, através da Secretaria Municipal de Saúde, esclarece que não há por parte do Poder Executivo, interferência na conduta médica, principalmente, sobre a prescrição de medicamentos aos pacientes da Covid-19.

O município adquire e disponibiliza através do Sistema Único de Saúde – SUS, antitérmicos, corticoides e remédios como Azitromicina, Ivermectina, Cocichimil e Hidroxicloroquina, deixando-os disponíveis no Setor de Assistência Farmacêutica para que sejam fornecidos de acordo com prescrição médica.

Esses medicamentos são mantidos nos seguintes locais: Farmácia Básica, Unidade de Pronto Atendimento Municipal de Ituiutaba – UPAMI, Ambulatório Covid-19 e nos Postos de Saúde da Família – PSF. Mediante apresentação de receita médica, os remédios são entregues aos pacientes.

A Prefeitura de Ituiutaba esclarece que não há protocolo definido para tratamento da Covid-19 vigente em âmbito mundial. O tratamento é definido pelo médico e nenhum outro profissional ou classe define tal conduta. É reservado aos médicos o poder de definir como tratar seus pacientes.

Autoridades que ocupam os cargos de presidente, governador, prefeito e secretário não têm o poder de criar protocolos clínicos para tratamentos médicos, nem mesmo podem obrigar os profissionais de Saúde a segui-los. A criação de protocolos clínicos é feita unicamente por órgãos responsáveis como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.

O Remdesivir, antiviral recentemente aprovado pela ANVISA para utilização em pacientes hospitalizados deve seguir um protocolo já estabelecido para seu uso. O município informa que já iniciou tratativas para adquirir o medicamento, que funciona como mais uma ferramenta de enfrentamento à Covid-19.”