Júpiter e Saturno fazem espetáculo raro hoje; saiba como apreciar no Triângulo Mineiro

0
Anúncio

Um fenômeno astronômico raríssimo enfeitará o céu nesta segunda-feira (21) e poderá ser apreciado, a olho nu, em Uberlândia e região, no Triângulo Mineiro. Trata-se da conjunção entre os planetas Júpiter e Saturno. O beijo cósmico, como o evento também é conhecido, ocorre a cada 20 anos. Contudo, somente no período de quatro séculos fica tão próximo da Terra. A última vez foi em 1.623. E é justamente hoje que esse espetáculo ocorrerá.

De acordo com o astrônomo e físico Renato Las Casas, coordenador do Observatório Astronômico da UFMG, os dois planetas vão se alinhar e brilhar como uma única estrela gigante. A cena poderá ser vista logo após o pôr-do-sol, que, em Uberlândia, está previsto para acontecer por volta das 18h50. “Olhando da Terra, vamos ver os dois planetas muito próximo do céu. Se tiver um binóculo, além de Júpiter e Saturno, será possível apreciar as luas galileanas. A pessoa irá contemplar quatro luas enfileiradas com Júpiter”, explicou o especialista. 

Com um telescópio, além desses detalhes, os anéis de saturno também ficarão visíveis. Las Casas reforça que o evento cósmico de hoje é super especial pois estará a seis minutos de arco – o que corresponde a um quinto do diâmetro da lua – de distância. “É muito próximo da Terra. O próximo tão perto do nosso planeta ocorrerá somente depois de 2.400”, disse. Para apreciar bem o fenômeno a recomendação é ir para um lugar que dê para ver o pôr-do-sol. “Um pouco acima e um pouco à esquerda de onde o sol se pôr vai chamar atenção dois objetos brilhantes, como se fossem uma estrela dupla”, detalhou.

Simbolismo bíblico

Conforme a bíblia, a Estrela de Belém guiou os três reis magos até a manjedoura de Jesus. Para os astrônomos, o evento cósmico que norteou os personagens que teriam visitado Jesus logo após o seu nascimento foi justamente a conjunção entre Júpiter e Saturno tão próximo da Terra. “Nós não sabemos cientificamente o que é Estrela de Belém, mas pode ser esse alinhamento, que aconteceu no ano sete antes de Cristo”, explicou Las Casas. “Vale a pena olhar para o céu e torcer para que São Pedro ajude. Este ano de pandemia, tão triste, levantar a cabeça e ver um espetáculo tão raro é um alento. E, simbolicamente, pode estar ligado ao nascimento de Jesus. É uma esperança”, avaliou o estudioso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui