Quarta, 26 de Janeiro de 2022
20°

Trovoada

Uberlândia - MG

Saúde e Bem-estar Professores

Professores e alunos protestam contra demissões na Uemg

Professores e alunos protestam contra demissões na Uemg

15/01/2016 às 10h59
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:
Professores e alunos da Uemg fizeram uma manifestação em frente à universidade em Passos (MG) na tarde desta quinta-feira (14). O grupo contesta a demissão de 226 professores do corpo docente da instituição, que pode fazer com que o início do ano letivo seja atrasado. A medida foi tomada pelo governo estadual por meio de um decreto em dezembro de 2015. O documento determinou a realização de concurso público para professores trabalharem na instituição. Na manhã desta quinta-feira, uma reunião já havia sido feita para discutir e encontrar soluções para as demissões. De acordo com a professora Vanessa Braz Cassoli, havia um acordo com a instituição quando o campus foi estadualizado em 2014. “Toda a informação que vinha de Belo Horizonte, da Universidade e do governo, é de que o processo seria de dois anos de designação temporária e em seguida o concurso público para efetivação.” Quase todo o corpo docente da Uemg de passos foi demitido.Com as aulas previstas para começar já em março, nenhum professor foi contratado até agora. “A gente vai perder muitas aulas, se não o semestre inteiro, perigando até perder o ano inteiro. Isso é muito ruim, porque você vai ter uma desistência em massa dos alunos Isso faz com que caia a qualidade do curso”, diz o estudante Giovanni Armando. Segundo a professora Maria Ambrosina Cardoso, uma das grandes expectativas da universidade para 2016 era inaugurar a primeira turma de Medicina do campus, planos que, com os desligamentos, podem ficar prejudicados. “Um curso não começa a partir da contratação do professor e [do momento em] que ele vai para a sala de aula. Ele tem toda uma programação, todo um planejamento de aula prática, de aula teórica, de visão, que é feito antes das aulas iniciarem”, afirma. O prefeito da cidade, Ataíde Vilella, diz que é contra a decisão do governo e defende a renovação imediata dos contratos. “Fizemos uma moção de repúdio a esse ato e estamos reivindicando que a situação seja normalizada. Até para que não haja prejuízos maiores para os alunos, para os professores e para todas as cidades da nossa região”. Além de Passos, a decisão do governo de não renovar os contratos dos professores atinge também sedes da Uemg em Campanha (MG), Divinópolis (MG) e Ituiutaba (MG). A secretaria de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag) disse, em nota, que já há um edital publicado, com inscrições abertas para professores e que outro edital será publicado na próxima semana para nova seleção. Os professores que já atuavam na Uemg podem concorrer às vagas abertas nos novos editais. A Seplag afirma ainda que os professores  serão designados em fevereiro e que as aulas serão retomadas normalmente em março. [caption id="attachment_78495" align="aligncenter" width="620"]uemg_sala Alunos e professores temem que o início do ano letivo possa ser atrasado na Uemg (Foto: Reprodução EPTV)[/caption] G1
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.