Sábado, 27 de Novembro de 2021
19°

Nevoa úmida

Uberlândia - MG

Saúde e Bem-estar Deputado

Deputado Weliton Prado explica voto a favor do impeachment

Deputado Weliton Prado explica voto a favor do impeachment

18/04/2016 às 20h49
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:

Sobre a votação do processo de impeachment na Câmara, o deputado Weliton Prado defendeu em seu voto, a necessidade de realização de novas eleições gerais e de uma Constituinte Exclusiva para a Reforma Política. Defendeu a saída da presidente Dilma, do vice-presidente Michel Temer e do presidente da Câmara dos Deputados.

Durante as discussões do relatório favorável a abertura do processo pelo Senado, Prado discursou por uma hora no sábado, 16.04, sobre os indícios de crime de responsabilidade contra a Lei Orçamentária, a falta de governabilidade e ineficiência do segundo mandato do governo Dilma/Temer, o caos na economia do Brasil resultante dos erros de gestões e "maquiagem" das contas públicas, o aumento da inflação, do desemprego, dos preços dos produtos e serviços essenciais, como a energia, e do fechamento de empresas.

Prado também orientou a votação e destacou que a maioria da população não quer a presidente Dilma e nem o vice-presidente Michel Temer como presidentes. Prado repudiou as negociações de cargos feitas pelos dois lados em troca de votos.

“É indefensável o governo da presidente Dilma. E vampiro Drácula aproveita esses momentos para sugar o sangue. É igual vírus. Quando a imunidade baixa, o vírus vai lá e ataca mesmo. Temer viu a oportunidade de atacar. E o vírus já contagiou essa Casa. Uma coisa que é absurda é que o governo está negociando os cargos à vista. E o vice-presidente está negociando cargos e emendas a prazo”, afirmou.

 

Weliton Prado concluiu o discurso dando um “cartão vermelho” a Dilma, Temer e ao presidente da Câmara.

“O impeachment não vai resolver o problema. A saída desse momento difícil é uma reforma política, com constituinte exclusiva e quem fizer parte não poder ser candidato na eleição subsequente. Cartão vermelho para a Dilma, cartão vermelho para Temer, cartão vermelho para o presidente da Câmara. O povo não quer nem um nem outro”, afirmou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.