Quarta, 08 de Dezembro de 2021
24°

Muitas nuvens

Uberlândia - MG

Saúde e Bem-estar Deputado

Deputado que 'se lixa' para opinião pública pode virar ministro do Trabalho

Deputado que 'se lixa' para opinião pública pode virar ministro do Trabalho

03/01/2018 às 11h42
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:
Depois de desistir de nomear o deputado Pedro Fernandes (PTB/MA) para o Ministério do Trabalho, o presidente Michel Temer (PMDB) pode colocar o deputado Sérgio Moraes (PTB/RS) para o cargo. O possível indicado é aquele que ficou famoso por dizer que “se lixa” para a opinião pública ao ser relator do caso do “deputado do castelo”. Com a desistência pelo nome de Pedro Fernandes, que seria fruto de uma interferência do ex-presidente José Sarney, o PTB trabalha nos bastidores pelo nome de Sérgio Moraes. A articulação estaria sendo conduzida pelo presidente do partido, Roberto Jefferson. A frase de Sérgio Moares foi dita em 2009. Na época, ele apresentou relatório no Conselho de Ética contra a cassação do deputado mineiro Edmar Moreira, ex-corregedor da Câmara que era acusado de usar recursos públicos em benefício próprio. Questionado por jornalistas, Moraes disse que os parlamentares apanham da imprensa e depois se reelegem. “Estou me lixando para a opinião pública”. Sérgio Moraes foi também foi acusado de usar recursos públicos em benefício próprio na época em que foi prefeito de Santa Cruz, no Rio Grande do Sul, mas foi absolvido pelo Supremo Tribunal Federal em 2012. O outro nome cotado pelo PTB, que deve manter a pasta, é o Pastor Josué Bengston, do Pará, que já foi denunciado pelos crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção passiva em um desmembramento da Operação Sanguessuga.O STF declarou extina a punibilidade do parlamentar. O ex-ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, pediu demissão no dia 27 de dezembro, dizendo que queria se dedicar à campanha pela reeleição. Ele deixou o cargo após a polêmica da portaria que afrouxava as regras de combate ao trabalho escravo. A norma foi refeita pelo Palácio do Planalto e assinada pelo ex-ministro antes de ele deixar o cargo. Fonte: Estado de Minas
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.