Ocorrências CRIME ORGANIZADO

Assista coletiva sobre maior operação do ano contra lavagem de dinheiro do tráfico que teve ações em Ituiutaba

Em Ituiutaba foram cumpridos um mandado de prisão e dois de busca e apreensão

23/11/2020 12h49 Atualizada há 2 meses
Por: R. A. C. O.
Foto: Pontal em Foco
Foto: Pontal em Foco

A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal deflagraram nesta segunda-feira (23) a Operação Enterprise. Somente hoje, cerca de 670 policiais federais e mais 30 servidores da Receita cumprem 149 mandados de busca e 66 mandados de prisão nos estados do Paraná, de Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, do Pará, Minas Gerais, do Rio Grande do Norte, da Bahia e de Pernambuco. As medidas foram expedidas pela 14ª Vara Federal de Curitiba.

Um dos alvos da operação reside em Ituiutaba, sendo que na cidade foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, na residência e no escritório do investigado, além do mandado de prisão que foi expedido em seu desfavor. O suspeito foi identificado como Rafael Chamoun, advogado, que por conta de sua profissão as diligências foram acompanhadas por representantes da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais - OAB/MG. Após as ações da PF foi feita a condução de Rafael para o presídio de triagem em Tupaciguara. 

Em nota, a defesa de Rafael Chamoun, feita pelos advogados Hudson de Freitas e Robson Luiz Silva Filho informaram que seu cliente em nada se relaciona com os fatos apontados no inquérito e que brevemente será provada sua inocência.

A Interpol também foi acionada para a prisão de oito investigados que estão no exterior, bem como a identificação e sequestro de bens em outros países. “É a maior operação do ano no combate à lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e uma das maiores da história na apreensão de cocaína nos portos brasileiros, uma vez se tratar de uma organização criminosa especializada no envio de cocaína para a Europa”, destacou a assessoria da PF. Assista abaixo coletiva sobre o caso!

Apreensões

Na megaoperação de hoje, foram apreendidos imóveis, aeronaves e veículos de luxo. A expectativa é que novos bens sejam identificados após o cumprimento de todos os mandados de busca e apreensão. Além da prisão de bens cujo valor pode chegar a R$ 400 milhões, a Operação Enterprise é a maior da história em apreensão de cocaína. Durante a investigação, foram anteriormente apreendidas 50 toneladas da droga em portos do Brasil, da Europa e da África. O esquema utilizado pelos criminosos consistia na lavagem de bens e ativos multimilionários no Brasil e no exterior com uso de várias interpostas pessoas (“laranjas”) e empresas fictícias, a fim de dar aparência lícita ao lucro do tráfico.

Enterprise

O nome da operação, segundo a PF, faz alusão à dimensão da organização criminosa investigada, que atua como um grande empreendimento internacional na lavagem de dinheiro e exportação de cocaína, o que trouxe alto grau de complexidade à investigação policial.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.