Ocorrências FRAUDE

Corretor de Iturama é investigado pela PF em esquema de fraude na venda de imóvel da Caixa no ES

O profissional, que não teve o nome divulgado, é investigado por fazer parte de um esquema de fraudes relacionadas a imóveis do acervo patrimonial da Caixa Econômica Federal.

14/01/2021 14h49 Atualizada há 1 dia
Por: J.D.M.N Fonte: G1
Foto: Polícia Federal / divulgação
Foto: Polícia Federal / divulgação

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em mais de uma etapa da Operação "Pesadelo", desencadeada pela polícia. Justiça Federal ordenou o bloqueio de valores das contas do investigado.

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na residência de um corretor de imóveis em Iturama, nesta quarta-feira (13), como parte da Operação "Pesadelo".

Continua depois da publicidade

O profissional, que não teve o nome divulgado, é investigado por fazer parte de um esquema de fraudes relacionadas a imóveis do acervo patrimonial da Caixa Econômica Federal.

Consta na investigação que ele tinha função de cooptar vítimas para as fraudes, se beneficiando de parte dos valores obtidos indevidamente.

Continua depois da publicidade

A investigação é relacionada a um imóvel localizado em Vila Velha, no Espírito Santo. Nas outras etapas da operação, em 2020, mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Aparecida de Goiânia, Goiás. Depois, durante desdobramentos, um suspeito de participar do esquema foi preso na Grande Vitória. 

Busca e apreensão

Segundo a PF, os mandados de busca e apreensão foram cumpridos por quatro policiais, onde foram apreendidos smartphones. Além disso, a Justiça Federal ordenou o bloqueio de valores das contas do investigado com objetivo de recuperar o proveito das fraudes.

Continua depois da publicidade

Entenda o caso

A investigação começou depois que a Caixa Econômica Federal denunciou a invasão de um imóvel avaliado em R$ 2 milhões, que pertence ao acervo do banco, no município de Vila Velha (ES).

Continua depois da publicidade

Foi aberto um inquérito policial e, ao ser questionado, o suspeito de invadir o imóvel alegou que tinha comprado a casa por R$ 550 mil em um acordo judicial com a Caixa. A venda teria sido intermediada por um advogado de Goiás e um corretor de imóveis.

Com o avanço das investigações, a polícia concluiu que o advogado e o corretor de imóveis simularam um acordo entre o invasor e a Caixa, falsificando a assinatura do representante da instituição bancária.

Na sequência, o advogado investigado protocolou o falso acordo em processo em trâmite na Justiça Federal e recebeu do invasor R$ 55 mil a título de entrada.

Em novembro, durante a operação, foram cumpridos mandados de buscas nos endereços do advogado, sendo apreendidos outros seis acordos falsos. Ele foi preso preventivamente em dezembro.

O advogado pode responder por estelionatos contra a Caixa, uso de documento falso e patrocínio infiel.

Já o corretor por estelionatos e uso de documento falso, previstos no Código Penal. Para mais notícias de Iturama CLIQUE AQUI.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Iturama - MG

Iturama - Minas Gerais

Sobre o município
Iturama é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, na Microrregião de Frutal. Tem uma população de 39.263 habitantes e área de 1.404,7 km². Localiza-se à margem direita do Rio Grande, na divisa com o estado de São Paulo a 750 km de Belo Horizonte.