Quinta, 19 de Maio de 2022
16°

Alguma nebulosidade

Uberlândia - MG

Saúde Alerta

Raiva humana: adolescente de 12 anos é a terceira vítima fatal da doença em Minas Gerais

De acordo com a SES-MG, as vítimas contraíram o vírus em uma aldeia indígena no interior do estado; um quarto caso é investigado

03/05/2022 às 14h15
Por: Gabriele Santos
Compartilhe:
Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Na segunda-feira (02), a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) divulgou que uma adolescente de 12 anos morreu com raiva humana na última sexta-feira (29). De acordo com os dados da Secretaria, essa é a terceira morte ocasionada pela doença no estado no período de um mês. 

A adolescente e as outras duas vítimas moravam em uma aldeia indígena uma comunidade rural de Bertópolis, no Vale do Mucuri. Ela estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital João Paulo Segundo, em Belo Horizonte, desde o início de abril. 

As outras vítimas

Outro adolescente de 12 anos morreu em decorrência da doença no dia 04 de abril. Segundo a SES-MG, os dois casos estão relacionados ao mesmo transmissor. 

Além dele, uma criança de 5 anos veio a óbito no dia 17 de abril. A SES-MG começou a investigar o caso, mesmo que a vítima não tivesse apresentado sintomas da doença. Na última quinta (28), a Secretaria divulgou o resultado positivo para raiva humana. Ainda de acordo com o órgão, o caso continua sob investigação para identificar as circunstâncias do contágio, porque a vítima não apresentava sinais de mordedura ou arranhadura por morcego.

O quadro de outra adolescente também está sendo analisado, ela apresentou sintomas correspondentes aos da doença e está em observação. Segundo as informações, ela está internada e seu quadro é estável. 

Como se prevenir 

A SES-MG divulgou o envio de doses de vacina antirrábica para a região afetada pelos casos. Para completar o esquema vacinal, é necessário tomar duas doses do imunizante, com prazo de sete dias. 

Além disso, o órgão orientou que em caso de incidente com mamíferos silvestres ou domésticos, principalmente morcegos, cães e gatos, é necessário procurar uma unidade de saúde para avaliação da necessidade de adoção de medidas profiláticas, como administração de vacina e soro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.