Segunda, 23 de Maio de 2022
14°

Alguma nebulosidade

Uberlândia - MG

Ocorrências Crime

Uberaba: quatro pessoas ficam sob tortura por 20 dias por causa de 80 reais

As vítimas foram torturadas física e psicologicamente e recebiam pouca alimentação enquanto a família delas era ameaçada

13/05/2022 às 12h58
Por: Redação Pontal Fonte: O Tempo
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Quatro pessoas foram sequestradas e mantidas em cárcere privado por cerca de 20 dias por causa de dívidas com um traficante de Uberaba, no Triângulo Mineiro. A polícia resgatou duas mulheres e dois homens nesta quinta-feira (12). 

De acordo com a Polícia Militar, uma das vítima contou que devia R$ 80 para um traficante, mas que com uma semana de atraso no pagamento a dívida se transformava em R$ 4.000, valores que as pessoas não conseguiam pagar.

As vítimas ficavam até 20 dias no cativeiro sofrendo tortura física e psicológica. Elas também quase não recebiam alimentação. Enquanto isso a família delas era ameaçada e transferências por PIX deveriam ser feitas para que o familiar não morresse. 

Os policiais precisaram fazer uma operação cautelosa para conseguir prender os criminosos. Quatro homens de 33, 35, 36 e 22 anos foram presos no cativeiro. Eles vigiavam as vítimas a mando do líder do tráfico na região. 

Além do homem de 42 anos, a polícia encontrou em cárcere privado uma mulher de 25 anos, outra de 22 e um homem de 31 anos. Todas as vítimas estavam com ferimentos e foram socorridas para uma unidade de saúde. Elas alegaram está com muita fome. 

No cativeiro havia vários móveis e objetos quebrados. Além disso, testemunhas disseram que ouviam vozes de homens mandando outras pessoas calarem a boca. 

Os suspeitos foram presos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil. O traficante que ordenou o crime não foi encontrado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.