Segunda, 27 de Junho de 2022
15°

Alguma nebulosidade

Uberlândia - MG

Saúde e Bem-estar PC

PC apreende 260kg de maconha e prende 13 em MG e MS

PC apreende 260kg de maconha e prende 13 em MG e MS

25/04/2014 às 13h39
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:

Foto: Patos Hoje

A Polícia Civil apresentou na manhã desta quinta-feira (24) o resultado da “Operação Na Balada”. Dezesseis pessoas foram indiciadas por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Mais de 260kg de maconha, cocaína e pontos de LSD foram apreendidos. Nove estão presos em Patos de Minas, quatro no Mato Grosso do Sul e dois foragidos. Um adolescente também teve participação nos crimes.

De acordo com os delegados responsáveis pela operação, foram dois meses e meio de investigação. As prisões começaram há cerca de 20 dias quando policiais interceptaram um carregamento de maconha com cerca de 260kg em Mato Grosso. As informações davam conta de que a droga seria distribuída em Patos de Minas, Patrocínio e outras cidades da região. Fabiano Noronha, 37 anos, residente em Patrocínio, é apontado como o responsável pelo fornecimento da droga em Patos de Minas.

Também estão presos na cidade de Paranaíba/MS Ana Paula de Oliveira, 28 anos, esposa de Fabiano, Cláudio César Batista Gonçalves, 35 anos, Leandro Pereira dos Santos, 22 anos, e Alesionardo Aparecido Ferreira Oliveira, 21 anos. Segundo as investigações, eles fazem parte da quadrilha comandada por Fabiano que distribuía maconha nas cidades da região. Após essa primeira fase, os policiais partiram para os próximos trabalhos quando foram apreendidos 78 papelotes de cocaína.

A droga também era para ser consumida nas boates e festas da cidade. As investigações continuaram e os policiais tiveram informações que jovens de classe média da cidade estariam vendendo LSD em festas de Patos de Minas. A apreensão de 32 pontos de LSD, droga sintética mais comum nos grandes centros e pouco encontrada em Patos de Minas, foram apreendidos na última fase da operação. Segundo o Delegado Luís Mauro Sampaio, os depoimentos dos autores confirmam que a droga era para ser vendida em festas.

Segundo os relatos, um ponto da droga estava sendo vendido a R$100 o que mostra a quantidade de dinheiro que a droga rende para os traficantes. Outras drogas também foram vendidas nas festas. O Delegado Thales Gontijo Cançado contou que a operação foi chamada de “Na Balada” justamente porque a droga estava sendo vendida nas festas e boates da cidade. Ele ressaltou a importância da apreensão e a dificuldade que os policiais estão tendo para realizar a prisão dos traficantes. “A cada dia eles se aperfeiçoam mais”, afirmou.

Os presos

O Delegado Regional Elber Barra Cordeiro informou que todos vão responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico. “A maioria não possui passagem policial”, informou. Estão presos no Presídio Sebastião Satiro em Patos de Minas: Diego Caetano Alves, 19 anos, Hugo Damasceno Lucas, 21 anos, Ítalo Amâncio Marques, 20 anos, Francisco Higor de Araújo, 21 anos, Mateus Gonçalves Vidal, 19 anos, Douglas Gonçalves Ferreira, 23 anos, Pablo Silvestre Gontijo de Oliveira, 20 anos, e Thiago Cristovam da Silva, 19 anos. Um menor de 16 anos também foi apreendido, mas já foi colocado em liberdade. Estão foragidos Thiago de Pádua Reis Carolino, conhecido como “Canú”, 26 anos, e Eder de Oliveira Esteves, vulgo “Cocá”, 28 anos. O chefe do 10ª Departamento da Polícia Civil, Antônio Carlos Alvarenga, salientou o empenho dos policiais na operação que terminou com um grande resultado.

O Promotor de Justiça, Paulo Henrique Delicoli, responsável por fazer a denúncia na justiça, falou sobre o problema da presença de menores em festas como na Beats Patos. O promotor destacou que foi contra a permissão da entrada de menores na festa que aconteceu no dia 18 de abril. Pelos depoimentos, ele disse que restou comprovado que muitos fizeram consumo de álcool e droga na festa. Ele também juntou ao processo os vários atendimentos realizados pelo SAMU relacionados com o evento.

Fonte: Patos Hoje

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.