Sábado, 25 de Junho de 2022
19°

Alguma nebulosidade

Uberlândia - MG

Esportes No

No primeiro semestre de 2014 custo de produção da pecuária de corte sobe fortemente

No primeiro semestre de 2014 custo de produção da pecuária de corte sobe fortemente

08/08/2014 às 13h37
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:
Analisando o quadro apresentado pela CNA, o presidente do SIPRI – Sindicato dos Produtores Rurais de Ituiutaba, Lindolfo Marques disse que os pecuaristas devem sempre ficar atentos aos números apresentados, e agirem sempre com muito profissionalismo para que esses custos não signifiquem prejuízos. O ano eleitoral também significa momento de cautela para o setor, onde se busca conhecer o que cada candidato tem a oferecer para o agronegócio nos próximos quatro anos. Os custos de produção da pecuária de corte subiram “fortemente no primeiro semestre deste ano, superando a alta no preço da arroba”, destaca o Informativo CEPEA/CNA, elaborado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia, da Universidade de São Paulo e da Escola Superior de Agricultura. Os números mostram que, nos onze principais estados produtores, o preço médio do Custo Operacional Total (COT) subiu 10,72% e o Custo Operacional Efetivo (COE) outros 12,87%, nos primeiros seis meses de 2014. No mesmo período, o preço do boi gordo valorizou 8,56%, maior percentual de alta desde 2010, conforme a média mensal do Indicador ESALQ/BM&FBovespa. Naquele ano, o levantamento havia apresentado aumento no preço do boi gordo de 12,77%, para o COT, e de 14,75% em relação ao COE. De acordo com o Informativo CEPEA/CNA, os gastos com reposição de animais e suplementação mineral foram os principais responsáveis pela elevação dos custos enfrentados pelos produtores no segundo trimestre deste ano. Preço do bezerro - O estudo mostra, ainda, que as cotações de todos os elos da cadeia pecuária encerraram o semestre de 2014 em alta, com destaque para o preço do bezerro. No Mato Grosso do Sul, por exemplo, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa demonstrou, em junho passado, forte incremento na comercialização de animais de oito a 12 meses, com elevação de 19,5%, em relação aos preços praticados em dezembro do ano passado. Indica o Informativo que, entre janeiro de 2004 e junho de 2014, o poder de compra dos pecuaristas de recria-engorda caiu. Mesmo assim, houve um salto de qualidade na produção de bezerro no Brasil. Enquanto, em janeiro de 2014, o produtor precisava vender 6,21 arrobas para adquirir um bezerro, em junho deste ano foram necessárias 8,53 arrobas, ou seja, 37% a mais em relação ao levantamento de 2004.  
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.