Quinta, 09 de Dezembro de 2021
17°

Alguma nebulosidade

Uberlândia - MG

Saúde e Bem-estar Acusado

Acusado de matar primo do goleiro Bruno começa a ser julgado em BH

Acusado de matar primo do goleiro Bruno começa a ser julgado em BH

20/08/2014 às 15h04
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:
Alexandre Ângelo de Oliveira, conhecido como Neguinho, acusado de matar Sérgio Rosa Sales, primo do ex-goleiro Bruno, começou a ser julgado nesta quarta-feira (20). A sessão teve início pouco depois das 13 horas no 1º Tribunal do Júri do Fórum Lafayette e é presidida pelo juiz Maurício Leitão Linhares. O crime do qual o réu responde ocorreu em agosto de 2012, no bairro Minaslândia, região Norte da capital, quando a vítima saía de casa para trabalhar. Na fase de instrução do processo, Neguinho confessou que atirou em Sérgio por este ter assediado sua namorada, a cozinheira Denilza Cezário da Silva. A mulher foi julgada em agosto de 2013 e condenada a 13 anos de prisão por participação no homicídio. Quatro mulheres e três homens compõe o Conselho de Sentença que irá decidir o futuro do réu. Alexandre Ângelo é defendido por Ronaldo Lara Júnior, a promotoria é presentada por Patrícia Estrela Vasconcelos e o asFormatFactoryimage (1)sistente de acusação Giovani Batista Manzo. No total, dez testemunhas, sendo cinco de defesa e cinco de acusação, foram arroladas. No entanto, as cinco testemunhas de acusação foram dispensadas. Os depoimentos começaram às 14h03 e depois terá início a fase de debates entre a defesa e acusação. Crime Alexandre relatou que matou Sérgio Rosa Sales por ele ter assediado sua namorada. No dia seguinte, o casal foi até o local onde aconteceu a abordagem, ela desceu da moto e continuou o caminho a pé, sendo acompanhado de longe pelo namorado. Em um certo momento, Sales se aproximou e começou a acompanha-la, quando Alexandre começou a persegui-lo, efetuando diversos disparos de arma de fogo contra ele. Alexandre confessou o crime, mas a namorada negou envolvimento com o homicídio. Alexandre foi denunciado por homicídio qualificado por motivo torpe e com uso de ação que dificultou a defesa da vítima. Fonte: Hoje em Dia
 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.