Quinta, 09 de Dezembro de 2021
17°

Alguma nebulosidade

Uberlândia - MG

Política Professora

Professora vai à Câmara e desabafa sobre descaso com Escola Estadual Profª Maria de Barros

Professora vai à Câmara e desabafa sobre descaso com Escola Estadual Profª Maria de Barros

26/08/2014 às 14h47
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:
  A Professora do Projeto Reinventando o Ensino Médio da Escola Professora Maria de Barros, Tânia, compareceu na Câmara Municipal dos Vereadores, nesta segunda-feira, 25 de agosto, para solicitar uma verba para a escola. De acordo com a professora muitos alunos moram em bairros carentes da cidade e não contam com transporte escolar público para chegar à escola. Ainda de acordo com a professora a situação piora no horário de verão, pois no horário em que as aulas se iniciam ainda está escuro e os alunos correm risco trafegando durante a noite pelas ruas. Tânia ainda citou como exemplo uma aluna que mora na área rural que tem que deixar a escola um horário antes do término das aulas, que é no sexto horário, pelo fato do transporte não aguardar a mesma. A escola também necessita de verba para auxiliar na alimentação e segurança dos alunos. No início do ano, professores foram alvos de vandalismo.

Relembre o caso

1901270_534426856673694_886947217_nAlunos do ensino médio da Escola Estadual Professora Maria de Barros, em Ituiutaba, fizeram tumulto na instituição na manhã desta quarta-feira,12 de março aproveitaram a hora do recreio para trancar nove professores em uma sala de aula. Além disso, os estudantes derrubaram mesas e cadeiras em várias salas e estragaram até um ventilador de teto. O Corpo de Bombeiros foi chamado ao local por volta das 10h. Eles tiveram que pedir apoio da Polícia Militar para entrar na escola e arrombar a sala onde os professores estavam. “Chegamos ao local, cortamos o cadeado e liberamos os professores para as atividades normais da escola”, explicou o sargento do Corpo de Bombeiros Giovaldo Balduino da Silva. Os professores ficaram aterrorizados e alguns em estado de choque. “A lei protege estes menores que andam praticando vandalismo na escola. Eles nos aterrorizam quando quebram janelas, portas e se não dermos licença eles nos ‘quebram’ também. O estado implantou o sexto horário, mas nada fez para nos ajudar. Agora está algo desorientado e dizem que é educação”, desabafou a professora Maria Silvia da Silva Dias. O vice-diretor contou que o problema começou com a transferência de alguns alunos de outras escolas e que a situação é cada dia mais grave. “Já sabemos quem é e já mapeamos e mapeamos os problemas que vamos levar para reunião com os pais, que inclusive, estava marcada para a próxima sexta-feira (14). Mas infelizmente é algo mais urgente e teremos que tomar outras medidas”, afirmou o vice-diretor Elizeu Pedro Rocha.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.