Domingo, 23 de Janeiro de 2022
23°

Alguma nebulosidade

Uberlândia - MG

Educação Um

Um dos maiores traficantes do Triângulo Mineiro, está prestes a deixar a prisão

Um dos maiores traficantes do Triângulo Mineiro, está prestes a deixar a prisão

03/02/2015 às 11h29
Por: Adelino Júnior
Compartilhe:
FRUTAL - No ano passado, no dia 10 do mês de julho, a Polícia Civil deflagrou uma operação denominada “Abelha Rainha” com o objetivo de colocar atrás das grades o que foi considerado pelo delegado Murilo Ribeiro, responsável pela investigação à época, como sendo um dos mais poderosos traficantes de drogas da região. Rosiney Jose Silva, (vulgo Zangão), foi detido com dinheiro, carros e motos de luxo, além de certa quantidade de drogas em sua residência. Ele foi acusado de tráfico de drogas, associação para o tráfico, lavagem de dinheiro. Ele estava sendo investigado pela Polícia Civil desde o ano de 2012, sendo detido em 2014 pela “Operação Abelha Raínha”. Agora, segundo reportagem da Rádio 102 FM, está prestes a deixar a cadeia. Rosiney Jose Silva, que é defendido pelo advogado Ricardo Rezende Rocha, pode sair da cadeia. “Com relação ao Rosiney a “Operação Abelha Rainha”, tendo em vista que no ano de 2012, o antigo delegado titular do inquérito policial Dr. Danilo, conseguiu algumas investigações que levassem a crer ser o mesmo traficante de drogas aqui em Frutal. Não produziram as provas necessárias à época dos fatos e esse inquérito foi arquivado”. Ainda segundo o advogado, algum tempo depois, o delegado Murillo Ribeiro, voltou a investigar o acusado, tendo em vista a transferência do outro delegado para outra cidade. “E ele, nas investigações, requereu à autoridade judiciária, a quebra de sigilo telefônico do acusado. E nessas investigações, identificou possíveis conversas entre “Zangão” e consumidores dessa droga. Enfim, foi decretada a prisão e ele foi preso”. Dr. Ricardo Rocha ainda ressalta que a prisão do acusado “foi fragrante preparado. Enfado de duvidas e não foi de acordo com os ditames da lei. O que foi evidenciado nas audiências de instrução e julgamento realizada no inicio de janeiro – bem como na precatória expedida á Comarca de Belo Horizonte, onde estivemos pessoalmente inquirindo o Dr. Murillo Ribeiro – que não se trata do maior traficante da região”. Ainda quanto ao patrimônio apreendido pela PC à época das investigações o advogado disse que tudo foi conseguido através de seu trabalho como pedreiro. “O que ficou evidenciado é que parte de seu patrimônio é totalmente de origem lícita. O ‘Zangão’ trabalha há mais de 20 anos como pedreiro”. Para justificar a sua relação com drogas, o advogado disse que tudo foi feito para manter seu vício em drogas. “Para ele manter o seu próprio vício, ele fornecia substancia entorpecente para manter seu vício. Isso ficou evidenciado em seu depoimento do mesmo e com as testemunhas de defesa e acusação ouvidas à época dos fatos. Ou seja, para saciar vício ele fornecia substancia entorpecente”. Ele ainda classificou como sendo ilegal a operação policial que prendeu ‘Zangão’ no ano passado. “Nós entendemos que esse tipo de prisão, que originou o flagrante, foi flagrante esperado, preparado. Isso é uma tese explanada dentro da doutrina e nós vamos explanar em fase de alegações finais”. Ainda segundo ele, não há provas no processo. “A meu ver não tem provas quanto a esses bens de que foram adquiridas de forma ilícitas como está esplanada na denúncia”. Na residência do investigado, foram apreendidos mais de R$ 5.000,00 em espécie, bens valiosos, cocaína e quatro veículos. A soma dos veículos totaliza quantia aproximada de R$ 160.000,00. [caption id="attachment_54990" align="alignnone" width="640"]FormatFactoryzangao-700x353 Zangão foi preso em julho de 2014 (Foto: Reprodução / Alô Frutal)[/caption]  
Alô Frutal
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.