Segunda dose de vacinação com a CoronaVac é interrompida em Uberlândia

De acordo com o comunicado, o fato se dá devido a um desabastecimento das doses fabricadas pelo Instituto Butantan.

0
Anúncio

Foi informado pela Prefeitura Municipal de Uberlândia, que a aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac será interrompida. De acordo com o comunicado, o fato se dá devido a um desabastecimento das doses fabricadas pelo Instituto Butantan.

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou sobre a indisponibilidade das doses na última segunda-feira (26). O fato poderá afetar a todos os municípios do Brasil, incluindo Uberlândia.

O que tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem. E agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose“, declarou Queiroga, em uma sessão no Senado que discutia medidas de combate à Covid-19.

Ainda segundo a prefeitura, a vacinação da 2ª dose com a CoronaVac será retomada assim que receber as novas remessas do Ministério da Saúde.

Veja a nota divulgada:

Conforme Nota Técnica nº 457/2021 do Ministério da Saúde, bem como declarações públicas do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, houve um desabastecimento de doses da vacina contra a Covid-19 do laboratório Butantan (vacina Coronavac) que impactará no prazo de aplicação da segunda dose pelos municípios nos próximos dias.

Com isso, haverá uma indisponibilidade da distribuição desta vacina para todas as cidades do Brasil, incluindo Uberlândia.  Desta forma, a Prefeitura de Uberlândia esclarece que depende e aguarda o envio destas doses, pelo Ministério da Saúde, para dar continuidade no esquema vacinal da população e que retomará de imediato, após utilização de residual, a aplicação da segunda dose assim que receber novas remessas.

Ainda conforme a nota técnica, o Ministério da Saúde ressaltou que o intervalo aumentando entre a aplicação das duas doses não deve reduzir a eficácia do esquema vacinal contra a Covid-19.